Matérias » Personagem

Drogas, brigas e tabloides: o desastroso relacionamento de Courtney Love e Kurt Cobain

A vocalista da banda Hole e o líder do Nirvana tiveram um dos romances mais conturbados da história da música

Caio Tortamano Publicado em 30/03/2020, às 18h05

Os cantores Kurt Cobain e Courtney Love, um dos casais mais icônicos da hitória da música
Os cantores Kurt Cobain e Courtney Love, um dos casais mais icônicos da hitória da música - Divulgação/ Michael Levine

A onda do grunge no cenário americano tinha nome e sobrenome: Kurt Cobain. O vocalista do Nirvana foi um ícone dos anos 90, tanto pela sua irreverência quanto pelo talento indiscutível. Durante o estrelato, uma parte de sua breve vida ficou marcada pela relação que teve com Courtney Love.

Love era a vocalista da banda Hole ao lado de Eric Erlandson, que não chegava a ser popular como a banda de Kurt. O primeiro encontro do futuro casal seria durante um show no Oregon, em 1989.

Nesse dia, eles conversaram um pouco depois da apresentação, mas não aconteceu nada demais, pelo menos para Kurt, já que a cantora e atriz havia desenvolvido uma paixão inexplicável naquele momento.

Já a primeira vez em que o astro do Nirvana teria visto seu futuro amor foi em um filme, A Caminho do Inferno, para ser mais exato. O longa de 1987 conta a história de um grupo de assaltantes (do qual Courtney era refém) que tem que se aventurar pelos desertos americanos.

Courtney estava determinada a conquistar o coração do cantor, mas este não tinha tanta certeza que queria entrar em um relacionamento na época. Tanto que, até depois de terem começado a namorar, Kurt faltava em alguns dos encontros que eles marcavam e constantemente deixava de atender ligações por não querer se envolver com Love.

Apesar disso, Cobain disse certa vez que: “Eu estava determinado a ser um solteirão por alguns meses (...), Mas eu sabia imediatamente que gostava tanto de Courtney, que era uma luta muito difícil ficar longe dela por tantos meses”, de fato, o amor tinha chego ao roqueiro.

Começo do romance

Em 1991, engataram em um romance que viria a se tornar um dos mais icônicos da história da música. Os jornais da época noticiavam que a maior parte das atividades do casal eram relacionadas ao uso de drogas, especialmente heroína e LSD.

A droga injetável era, de acordo com o próprio cantor, um remédio que ajudava a amenizar as dores que sentia com uma doença crônica no estômago. A heroína esteve presente em sua vida de 1990 até o momento de sua morte.

Casamento

Em 1992, com oito pessoas presentes — já que grande parte das pessoas próximas aos dois acreditava que a relação não tinha futuro e era extremamente destrutiva — o casal decidiu casar oficialmente. A cerimônia, que ocorreu no Havaí, na belíssima praia de Waikiki, foi marcante. Courtney usava um simples vestido de renda branco, enquanto Kurt estava com um pijama verde.

No entanto, o que nenhum dos dois sabia é que, no momento do casamento, Love estava grávida da única filha do casal, Frances Bean Cobain, que estava na barriga da mãe há 3 meses. A notícia surgiu como uma esperança ao casal, já que Kurt iria para a reabilitação, e Love iria deixar de utilizar heroína — mesmo que ela já estivesse grávida a última vez que fez uso do narcótico.

Frances Bean

A notícia de que ela teria usado a a droga grávida, entretanto, foi mais do que suficiente para que os tabloides da época começassem a levantar polêmicas. Era discutido, por exemplo, se existiria a possibilidade de Francis nascer viciada em heroína ou até mesmo se poderia interromper a gravidez. A situação ficaria ainda pior com o nascimento.

O Serviço do Departamento de Crianças de Los Angeles (onde os dois moravam) convocou o casal ao tribunal e o declarou inapto. A justificativa foi que o uso de drogas poderia afetar a criação da filha.

Como consequência, a guarda da filha — de somente duas semanas de vida — foi passada à irmã de Courtney, Jamie, o que durou algumas semanas. Depois de um tempo, o casal concordou em fazer exames de urina regularmente e receberem visitas regulares de um assistente social. Assim, puderam recuperar a guarda dela.

Frances Bean Cobain hoje em dia / Crédito: Divulgação/ Instagram

 

O casamento estava destinado ao fracasso: muito devido ao uso de drogas e pelos constantes desentendimentos. Kurt, que era depressivo desde os 7 anos de idade, ameaçou se suicidar e induziu overdoses por diversas vezes quando sentia que estava prestes a ser traído por sua mulher.

Em 31 de março, o artista se internou em mais uma reabilitação, mas fugiu pouco tempo depois, literalmente sumindo do mapa e não dando notícias a ninguém. Dias depois, se hospedou no motel Marco Polo usando um nome falso.

Kurt, Frances e Courtney em uma de suas raras aparições públicas juntos / Crédito: Reprodução

 

Por mais que jurasse que não tinha uma arma na canção Come As You Are, Kurt Cobain deu fim a própria vida no dia 5 de abril de 1994, aos 27 anos, com uma escopeta que havia comprado para defesa pessoal.


+ Saiba mais sobre Kurt Cobain por meio das obras a seguir:

Kurt Cobain Fragmentos De Uma Autobiografia, de Marcelo Orozco (2002) - https://amzn.to/3bTAyXi

O dia em que o rock morreu, de André Forastieri (Ebook) - https://amzn.to/329jZSH

Kurt Cobain, de Charles R. Cross (2014) - https://amzn.to/3bSxwT5

Kurt Cobain - Quando eu era um Alien, de Toni Bruno (2015) - https://amzn.to/37IaN8Z

Mais pesado que o céu: Uma biografia de Kurt Cobain, de Charles R. Cross (2012) - https://amzn.to/2HFSfeX

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du