Matérias » Entretenimento

A dura vida íntima de Vivien Leigh, segundo livro

Durante o maior papel de sua vida, em "...E o Vento Levou", ela enfrentou problemas graves revelados décadas depois

Wallacy Ferrari Publicado em 15/05/2022, às 10h00

Vivien em  "...E o Vento Levou"
Vivien em "...E o Vento Levou" - Divulgação / MGM

Vivian Mary Hartley nasceu e cresceu com o nome de batismo, mas se projetou mundialmente pelo nome artístico de Vivien Leigh, sendo uma referência na chamada Era de Ouro de Hollywood, compondo produções que edificaram a indústria cinematográfica mundial.

Contudo, uma produção em específico foi responsável por eternizá-la como uma figura notável na história da sétima arte. Em ‘...E O Vento Levou’, lançado em 1939, foi eternizada junto a elogiada obra, que não apenas foi premiada e prestigiada na época, como até hoje compõe listas de filmes mais importantes de todos os tempos.

Contrastando com o êxito comercial e crítico da obra, os bastidores das filmagens fizeram com que Vivien atravessasse um dos piores episódios de sua vida.

Parte desse período foi coberto em livro publicado recentemente pelo biógrafo Stephen Galloway, divulgando informações até então inéditas sobre a intérprete a personagem Scarlet O’Hara, através do livro ‘Truly, Madly: Vivien Leigh, Laurence Olivier and the Romance of the Century (Verdadeiro, Louco: Vivien Leigh, Laurence Olivier e o Romance do Século, em tradução livre para o português).

Com base nas cartas da artista com o marido Laurence Olivier, alguns diálogos chamaram atenção a uma overdose acidental de remédios, nunca revelada publicamente pela atriz. Na correspondência, entretanto, o companheiro dá uma bronca na esposa: “Como você se atreve a tomar quatro pílulas assim, sua tontinha histérica”, escreveu.

A revelação

Os remédios que a atriz teria usado e resultado no colapso não foram especificados pelo autor, mas acredita-se que tratavam-se de um combinado de calmantes e relaxantes para enfrentar a dura rotina de gravações.

Contudo, não foi o único problema de saúde; para recriar as paisagens do sul dos Estados Unidos, uma poeira avermelhada serviu para cobrir o solo dos cenários em diversas cenas do filme.

Contudo, de acordo com o portal GShow, o escritor observou registros de reclamações da estrela ao ter contato com o material, que provavelmente causou uma alergia. Com isso, os olhos dela coçavam constantemente, além de problemas de descascamento de pele.

A mudança de humor também era um dos pontos chaves para o desgaste de Vivien no set, visto que, na época das filmagens, ela convivia com um quadro de bipolaridade ainda não-diagnosticado, somando com a ansiedade pelo projeto ambicioso.

A gota d'água teria sido, em meio a todo o transtorno enfrentado pelas condições de filmagem, o atraso da menstruação da atriz, que começou a desconfiar que estivesse grávida de Laurence. O casal não tinha o desejo de ter um filho naquele momento, chegando a cogitar a realização de um aborto — posteriormente descartado ao descobrir que ela não estava grávida.