Matérias » Paleontologia

Entenda como tubarões poderiam ter desaparecido dos oceanos há 19 milhões de anos

Pesquisadoras da Universidade de Yale publicaram uma incrível pesquisa sobre o tema na revista Science

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 10/06/2021, às 14h45

Tubarões nadam em oceano
Tubarões nadam em oceano - Imagem de PIRO4D por Pixabay

Com presas enormes e aparência muitas vezes assustadora, os tubarões são animais temidos e, ao mesmo tempo, fascinantes. Não à toa, Hollywood explorou esse medo irracional do ser humano em dezenas de filmes, os quais arrastaram multidões para os cinemas e se tornaram grandes sucessos mundiais.

De forma bem-sucedida, das menores às maiores espécies, esses peixes cartilaginosos povoaram os oceanos ao longo dos anos de sua existência. E foram muitos milhões desde seu surgimento: 450, de acordo com a Revista Pesquisa, da Fapesp.

Mas, apesar de terem conquistado espaço, nesse meio-tempo, diversas espécies acabaram desaparecendo, como o incrível Megalodon.

Com uma cabeça que media 4,65 metros e uma cauda com cerca de 3,85 metros de altura, esse predador era um verdadeiro mostro dos mares e viveu, conforme parte dos cientistas, até 3,6 milhões de anos atrás.

Uma mulher posa para foto dentro de uma réplica da mandíbila de um Megalodon / Crédito: Getty Images

 

O paleontólogo Robert Boessenecker, quem apresentou a tese ao National Geographic no ano de 2019, afirmou que o possível causador de sua extinção teria sido seu concorrente, o tubarão-branco, que, com o tempo, ganhou espaço no ambiente marinho. Neste caso, uma única espécie levou uma segunda a desaparecer por completo, sem que houvesse, portanto, um evento de grandes proporções.

Muito antes da extinção do Megalodon, porém, um enorme evento teria feito com que 90% dos tubarões desaparecessem do globo terrestre, de acordo com uma nova pesquisa publicada no último dia 4, na revista Science.

Um tubarão-branco exibe suas presas / Crédito: Getty Images

 

Quase extintos

O estudo, realizado por pesquisadoras da Universidade de Yale, afirma que uma verdadeira extinção em massa teria ocorrido há 19 milhões de anos. O evento, até então desconhecido, poderia ter dado aos tubarões o mesmo destino dos dinossauros.

Assim, o artigo publicado considerou que os oceanos poderiam concentrar um número inimaginável de tubarões nos dias de hoje se não fosse por essa grande extinção em massa. É o que afirmam as paleontólogas Elizabeth Sibert e Leah Rubin.

Os estudos de paleontologia nos oceanos geralmente são realizados a partir da análise de rochas e de fósseis encontrados em águas rasas. Pelo fato desse método tradicional ter se revelado muito limitado, a nova pesquisa, no entanto, foi baseada em microfósseis encontrados nos sedimentos presentes no oceano.

Tubarões nadam em aquário / Crédito: Getty Images

 

As pesquisadoras extraíram desses sedimentos um material chamado ichthyoliths, que nada mais é do que fragmentos de escamas, ossos e dentes de peixes que viveram há muito tempo e que ficam acumulados no fundo do oceano.

Foi assim que Sibert e Rubin tiveram acesso a informações que datam até 40 milhões de anos. Foi também por meio desses dados que elas chegaram a uma outra tese.

De acordo com as paleontólogas, o evento de extinção em massa, além de ter reduzido radicalmente a população de tubarões, fez com que houvesse houve uma diminuição de mais de 70% na diversidade morfológica desses peixes.

Você pode conferir a pesquisa completa aqui.


+Saiba mais sobre o tema por meio das obras disponíveis na Amazon:

Paleontologia - Volume 1, de Ismar de SouzaCarvalho (2010) - https://amzn.to/34AW7dN

Ascensão e queda dos dinossauros: Uma nova história de um mundo perdido, de SteveBrusatte  (2019) - https://amzn.to/2FMUQG7

The Princeton Field Guide to Dinosaurs 2e: Second Edition (Edição Inglês), de Gregory S.Paul (2016) - https://amzn.to/31sHZBj

Paleontologia de Vertebrados, por Valeria Gallo (2012) - https://amzn.to/3jdRniu

Dinos do Brasil, de Luiz E. Anelli (2018) - https://amzn.to/2YxMUPE

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W