Matérias » Segunda Guerra Mundial

Crimes contra a humanidade: Há exatos 75 anos, ocorria o Julgamento de Nuremberg

Os tribunais organizados pelos Aliados após o fim da Segunda Guerra levaram 10 nazistas para a forca

Giovanna de Matteo Publicado em 20/11/2020, às 00h00

Vista de cima do banco dos réus no tribunal de Nuremberg
Vista de cima do banco dos réus no tribunal de Nuremberg - Wikimedia Commons

Organizados pelos Aliados após o fim da Segunda Guerra Mundial, 20 de novembro de 1945 ficou marcado pelo início dos Julgamentos de Nuremberg. Após os inúmeros crimes contra a humanidade ocorridos durante o regime nazista, havia chegado a hora de julgar os oficiais responsáveis pelos horrores do Holocausto.

Desse modo, as três maiores potências da época, Reino Unido, União Soviética e Estados Unidos, também com a ajuda da França, decidiram se juntar para resolveram como poderiam julgar os crimes de guerra ocorridos na Segunda Guerra, que foram discutidos entre as reuniões em Yalta (1945) e Potsdam (1945).

A base legal para o julgamento foi estabelecida pela Carta de Londres, que determinou o sentenciamento de 24 líderes alemães pelo Tribunal Militar Internacional, em novembro de 1945, em Nuremberg, Alemanha, num processo que durou até 1 de outubro de 1946.

Com o fundamento dos tribunais de Nuremberg, surgiu também o Tribunal Penal Internacional, em Haia, que cuidou dos Processos de Guerra de Nuremberg, onde foram julgados outros 12 casos, que envolviam 117 acusações criminosas ocorridas durante a guerra.

Dali em diante, oito juízes foram escolhidos para avaliar os casos em procedimentos legais contra os criminosos do Reich. Entre os réus, estavam nomes bastante conhecidos, como: Karl Donitz, sucessor de Hitler, Hermann Göring, líder do Partido Nazista, e Rudolf Hess, um político de destaque e vice do Füher.

Foram encurralados também outros membros da liderança política, militar, judicial e econômica da Alemanha nazista, do Gabinete do Terceiro Reich e da Gestapo.

No banco dos réus. À frente, de cima para baixo: Hermann Göring, Rudolf Hess, Joachim von Ribbentrop, Wilhelm Keitel. Atrás, de cima para baixo: Karl Dönitz, Erich Raeder, Baldur von Schirach, Fritz Sauckel / Crédito: Divulgação

 

Os julgamentos se seguiram a partir de 4 princípios de acusação: Conspiração para a realização de crimes; Planejamento de conflitos de agressão sem a justificativa de autodefesa; Participação e/ou cumplicidade em crimes de guerra; E crimes contra a humanidade.

Apesar de ser uma luta pela justiça, os julgamentos de Nuremberg passaram por diversas polêmicas entre os especialistas em direito que acreditavam que, como ele fazia parte de um tribunal de exceção, os indiciados não poderiam sofrer pena de morte, segundo o consenso internacional.

No entanto, os vencedores da guerra instituíram as suas próprias regras, o que resultou na condenação de morte de muitos oficiais nazistas, o que era previsto pelo direito natural inglês.

Os julgamentos contaram com relatos de testemunhas vivas que sobreviveram ao holocausto, que contaram suas histórias aterrorizantes, além de advogados de todo o mundo e tropas das forças armadas para proteger o local.

O tribunal hoje exibe o Memorial de Nuremberg / Crédito: Divulgação

 

As sentenças de morte aconteceram no dia 16 de outubro de 1946 através de  enforcamento, no ginásio do prédio do tribunal, onde foram instalados três cadafalsos. O carrasco responsável pela execução foi John C. Woods.

Dos 12 réus condenados, dez foram mortos naquele dia. Os dois que não fizeram parte do processo foram Martin Bormann, que foi condenado à revelia e teria sido morto em maio de 1945 enquanto tentava escapar de Berlim, e Hermann Göring, que cometeu suicídio na noite anterior à execução.


+Saiba mais sobre o nazismo por meio das obras disponíveis na Amazon:

Terceiro Reich na história e na memória, de Richard J. Evans (2018) - https://amzn.to/353Tu2w

As mulheres do nazismo, de Wendy Lower (2014) - https://amzn.to/3bwrlDv

A vida secreta dos nazistas, de Paul Roland (2020) - https://amzn.to/2yy0qso

Filhos de nazistas: Os impressionantes retratos de família da elite do nazismo, de Tania Crasnianski (2018) - https://amzn.to/2wWv5iy

Hitler e o nazismo, de Richard Geary (2012) - https://amzn.to/2xThKIe

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W