Matérias » Brasil

Mortes, invasões e roubos: 6 episódios que marcaram as buscas por Lázaro Barbosa

Barbosa foi morto nesta segunda-feira, 28, ao 'resistir à prisão' em Goiás

Redação Publicado em 28/06/2021, às 16h34

Policiais após a captura de Barbosa
Policiais após a captura de Barbosa - Divulgação/Vídeo/Youtube

Após 20 dias de buscas intensas em Goiás, Lázaro Barbosa, suspeito de chacina no DF e outros crimes, acabou sendo capturado e morto nesta segunda-feira, 28, após resistir a abordagem numa troca de tiros.

A informação do óbito foi confirmada por Alexandre Ramagem, que é diretor da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) através de sua conta oficial no Twitter.

"Parabéns à PM/GO e demais forças pelo sucesso nas diligências de localização e todo esforço na captura. Planejamento, cooperação e inteligência encerraram a reincidência de crimes hediondos e mais tragédias a outras possíveis famílias", disse Alexandre. "Morto em confronto ao resistir à prisão".

Em uma busca cinematográfica, que foi repercutida durante todos esses dias nas redes sociais, momentos trágicos foram responsáveis por causar pânico entre os brasileiros.

Confira seis desses episódios.

1. Morte de família

As buscas que visavam a prisão de Lázaro se iniciaram com a chacina de quatro pessoas de uma família em Ceilândia. Durante o episódio, Cláudio Vital (48 anos) e Gustavo (21 anos) e Carlos Eduardo (15 anos) – seus filhos - foram encontrados sem vida. Nos corpos foram identificados sinais de tiros e facadas.

A polícia divulgou que Cleonice Marques de Andrade (43 anos), esposa e mãe, só teve o corpo revelado depois de três dias. Com o cadáver deixado em um córrego, as autoridades informaram que Lázaro teria sequestrado a mulher e dado um tiro em sua cabeça.

2. Invasão e troca de tiros

Durante a ‘caçada’ por Barbosa, a Polícia Militar de Goiás informou que o dia 12 de junho foi marcado por mais um episódio tétrico. Foi revelado que o fugitivo havia bebido numa chácara, onde o caseiro teria se tornado refém.

Mas não parou por aí. Durante a invasão de outra propriedade do tipo, Lázaro não só atirou em três homens, como também furtou armas.

Ele também teria iniciado um incêndio em uma residência e antes de se ‘enfiar na mata’ acabou se envolvendo numa troca de tiros com os policiais.

3. Comida e roubo

No dia 13 de junho, Lázaro teria seguido a rotina do dia anterior. A polícia informou que ele invadiu outra chácara. No local roubou 200 reais, vestimentas e aparelhos celulares. Antes de sair ainda exigiu que fosse feita comida para ele.

Buscas por Lázaro /Crédito: Divulgação /TV Globo

 

O dia ainda foi marcado por mais momentos dramáticos. O suspeito de chacina teve como alvo uma casa. Ao entrar no local, amarrou um homem que lá estava e furtou o carro, assim fugindo para Cocalzinho.

4. Sequestro de família

Lázaro, suspeito de matar a família mencionada no começo da reportagem, acabou sequestrando outras pessoas em Cocalzinho de Goiás, perto do Distrito Federal.

O casal e a filha de 16 anos tiveram a residência invadida por Lázaro. O fim do episódio só foi possível quando a polícia fora acionada pela adolescente, que havia se escondido. No local, as autoridades trocaram tiros com Lázaro, que fugiu mais uma vez. As vítimas foram resgatadas com vida.

5. Pais se pronunciam

Enquanto as autoridades buscavam por Lázaro os pais de Barbosa deram declarações à mídia. A mãe do suspeito, Eva Maria de Sousa, pediu que o filho desistisse da fuga.

"Ele tem que se entregar. Não tem outra opção. Se for comprovado que ele fez todos esses crimes, o que eu acho é que ele tem que pagar”, disse ela durante entrevista ao programa Fantástico da Rede Globo. 

Mãe de Lázaro durante entrevista - Divulgação/Vídeo/BATV

 

Já o pai, Edenaldo Barbosa, pediu desculpas pelas ações do filho. "Peço desculpa por ser pai de uma pessoa desequilibrada, assassina, e que considero um monstro", disse em entrevista ao programa Cidade Alerta, da Record.

6. Perfil em rede social

Investigadores rastreram um perfil falso que teria sido criado pelo suspeito para acompanhar o que havia sido divulgado sobre a própria caçada, segundo revelou a Agência Brasil.

Com a conta ausente de publicações, Lázaro seguiu veículos de comunicação. A polícia busca verificar se o perfil realmente pertencia ao homem.


*Com informações de BBC Brasil, G1, Agência Brasil, Fantástico e R7.