Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Entretenimento

O bizarro ‘exército de clones’ de Danny O’Day

Usando cirurgia plástica, o promotor de shows dos anos 70 trouxe “de volta à vida” Elvis Presley, Jim Morrison, Janis Joplin e Jim Croce

Redação Publicado em 18/06/2022, às 08h00

Artistas covers do Rock and Roll Heaven - Divulgação/Youtube/Joel Gamble
Artistas covers do Rock and Roll Heaven - Divulgação/Youtube/Joel Gamble

Bandas de tributos são conhecidas por darem seu melhor trabalho na hora de homenagearem grandes estrelas — tanto pela forma como arrumam o cabelo, fazem a maquiagem ou usam roupas extremamente parecidas com a do astro ovacionado por eles.

No entanto, na década de 1970, existiram alguns que levaram esse tipo de projeto ao extremo ao decidirem seguir a ideia de um promotor de shows dos anos 70, que foi muito além dos elementos tão bem conhecidos para artistas covers de outros que já morreram.

Danny O’Day entrou para a história como o homem que usou de cirurgia plástica para transformar artistas tributos de Elvis Presley, Jim Morrison, Janis Joplin e Jim Croce em pessoas ainda mais parecidas com os próprios cantores.

Artistas covers do Rock and Roll Heaven / Crédito: Divulgação/Youtube/Joel Gamble

Segundo a Rolling Stone Brasil, os imitadores convocados pelo promotor já possuíam semelhanças com as estrelas, mas passaram por cirurgias plásticas com o intuito de ficarem ainda mais parecidos com os homenageados — por meio de alterações físicas.

Começo de tudo

O projeto de O’Day começou com a tentativa de reviver ninguém mais ninguém menos que o Rei do Rock por meio de procedimentos estéticos. O cover de Elvis Presley, Dennis Wise, que era um ex-vendedor de carros no Havaí, foi a primeira cobaia do experimento.

O artista havia viajado para os Estados Unidos com o desejo de conseguir fama com seu talento musical, passando pela cirurgia que mudou seu nariz, bochecha e lábios sob a promessa do promotor de que “a nostalgia do rock clássico seria um negócio lucrativo”.

Ele realizou o procedimento e, após algumas semanas, mostrou o resultado da transformação em sua primeira aparição no famoso programa televisivo Good Morning America, no começo de 1978.

A parceria profissional entre os dois, porém, não durou tanto. Embora Danny tivesse marcado shows ao longo de uma semana para o imitador na Flórida por US$15 mil, cerca de R$ 75 mil, Dennis alegou que não havia sido pago, processando o promotor.

Exército de clones

Algo ainda mais bizarro estaria por vir, porque O’Day não desistiu do plano e somente sonhou mais alto: com não apenas Elvis, mas também Jim Croce, Jim Morrison e até mesmo uma versão feminina do Rei do Rock.

Após conhecer novos artistas, o promotor criou o Rock and Roll Heaven, que contou com Marc Hazebrouck, como Jim Croce; Duke O’Connell, como Jim Morrison; e Jesse Gamble e Erin Rhyne como versão masculina e feminina de Elvis Presley, respectivamente.

Veja uma entrevista do Rock and Roll Heaven:

Os membros do Rock and Roll Heaven, embora tenham sido chamados de seu “exército de clones” por O’Day, não chegaram a passar por cirurgias tão invasivas e drásticas quanto o primeiro a topar o experimento do produtor, Wise, realizando procedimentos mais simples.

Como relatou o portal Tenho Mais Discos que Amigos!, a banda não conseguiu o sucesso que Danny tanto almejava com sua “ideia inovadora”. Prova disso é que o filho de Jim Croce, AJ Croce, só ficou sabendo do grupo quando foi questionado sobre o assunto para uma reportagem especial da Rolling Stone em 1978, sob o título “As noivas do Funkenstein”.

“Jesus Cristo – isso é uma merda bizarra. A primeira coisa que me vem à mente é que a cirurgia plástica é a mais alta forma de bajulação”, disse AJ na época.