Matérias » Arqueologia

O impressionante Tesouro trácio de Rogozen, a maior descoberta do século

Um operador de trator foi responsável pelo achado, que consiste em 165 artefatos raros feitos de prata retratando cenas da mitologia grega e trácia

Isabela Barreiros Publicado em 28/06/2020, às 11h00

Um dos artefatos do tesouro
Um dos artefatos do tesouro - Wikimedia Commons

Durante o outono de 1985, o operador de trator Ivan Dimitrov estava desenvolvendo um sistema de irrigação para o seu jardim. Na vila de Rogozen, 43 quilômetros ao norte da cidade de Vratsa, na Bulgária, ele usava o terreno também como uma horta e cavou um buraco para criar tal complexo no subsolo.

Dimitrov, no entanto, encontrou inúmeros objetos em baixo do solo em que mantinha suas plantações. Em uma descoberta completamente acidental, ele foi responsável por achar, quase na superfície, a 50 centímetros de profundidade, vários vasos antigos. Eram 42 jarros, 22 páteras e uma xícara.

Crédito: Adam Jones/Wikimedia Commons

 

Quando percebeu a importância do que havia descoberto, o trabalhador foi entregou os artefatos para funcionários do Museu Histórico do Condado (Museu Histórico Regional) em Vratsa. O tesouro surpreendeu os pesquisadores da instituição, que decidiram continuar com as escavações, dessa vez de maneira profissional.

Assim, no dia 6 de janeiro de 1986, um time de arqueólogos foi mandado para o local com o intuito de encontrar mais itens raros e antigos. A equipe contava com os especialistas Bogdan Nikolov, Spas Mashov e Plamen Ivanov, que faziam parte do museu na cidade de Vratsa.

Crédito: Adam Jones/Wikimedia Commons

 

O trabalho revelou-se muito promissor. Rapidamente, eles descobriram a outra metade do tesouro que ficou conhecido como Tesouro de Rogozen. Dessa vez, os cientistas encontraram mais de cem vasos feitos de prata e de vermeil. Especificamente, eram 86 páteras, 12 jarros e 2 xícaras.

No entanto, não bastava apenas encontrar os artefatos, por mais que isso fosse parte considerável do trabalho. Faltava ainda investigar porque eles haviam sido enterrados e por quem.

Para os arqueólogos envolvidos nos esforços de escavação, o tesouro havia sido enterrado por pessoas que estavam passando por circunstâncias extremas. Elas teriam dividido a riqueza em várias partes, para que fosse mais difícil de ser encontrada.

Crédito: Adam Jones/Wikimedia Commons

 

Acredita-se que os itens tenham sido de uma família nobre que vivia no local, que os reuniu durante muitos anos, desde o século 5 até mais ou menos os anos 40 do século 4 a.C. A partir disso, os pesquisadores conseguiram entender mais sobre a vida dos trácios.

No total, o tesouro consiste em 165 recipientes, incluindo 108 frascos, 55 jarros e 3 taças. São ricamente decorados, com representações de cenas da mitologia trácia e grega e alguns pesam mais que 20 kg. Além disso, muitos possuem inscrições de nomes de governantes da Trácia, além de ourives de ouro que os desenvolveram. É considerado como a maior descoberta do século, tanto pela quantidade pela variedade de elementos encontrados.


+Saiba mais sobre arqueologia por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

Arqueologia, de Pedro Paulo Funari (2003) - https://amzn.to/36N44tI

Uma breve história da arqueologia, de Brian Fagan (2019) - https://amzn.to/2GHGaWg

Descobrindo a arqueologia: o que os mortos podem nos contar sobre a vida?, de Alecsandra Fernandes (2014) - https://amzn.to/36QkWjD

Manual de Arqueologia Pré-histórica, de Nuno Ferreira Bicho (2011) - https://amzn.to/2S58oPL

História do Pensamento Arqueológico, de Bruce G. Trigger (2011) - https://amzn.to/34tKEeb

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W