Colegiais: depois daquele beijo...

Colegiais: depois daquele beijo...

Mauro Tracco Publicado em 01/09/2006, às 00h00 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h36

Aventuras na História
Aventuras na História - Arquivo Aventuras

Durante a Segunda Guerra Mundial, uma terrível ameaça à solta pelas ruas de Londres era motivo de preocupação para os oficiais americanos: garotas colegiais, loucas para se envolver com os soldados. Registros do Arquivo Nacional dos Estados Unidos mostram que os oficiais estavam preocupados com a onda de estudantes "semidelinqüentes", fugitivas de colégios internos. Elas representavam "um perigo maior que as prostitutas na transmissão de doenças venéreas", segundo a Scotland Yard relatou às autoridades americanas.

Os documentos afirmam que as meninas escapavam da escola em direção a West End London, onde freqüentavam cafés suspeitos e "atacavam" os pobres soldados americanos. Estes, por sua vez, ofereciam as garotas aos colegas, de modo que, "em pouquíssimo tempo, uma estudante podia ser responsável por infectar um número considerável de pessoas".

As autoridades americanas mantinham um registro de todas as escolas com o número de fugitivas e infectadas com sífilis, gonorréia ou ambas. Os papéis mostram oficiais descrevendo essas meninas como uma ameaça imediata e especulando a possibilidade de impor um regime de segurança especial às alunas com doença venérea. No final, foi decidido que elas seriam trancadas em hospitais até que as doenças deixassem de ser transmissíveis.