Curiosidades » Crimes

Antes de ser assassinado por um fã: como foram os momentos finais de John Lennon

Em 1980, o homem que ficou famoso com a banda The Beatles foi baleado na frente de seu prédio. Mas, afinal de contas, o que o cantor estava indo fazer naquele dia?

Penélope Coelho Publicado em 13/08/2020, às 16h37

John Lennon, ex-integrante da banda The Beatles
John Lennon, ex-integrante da banda The Beatles - Wikimedia Commons

A triste história de como a vida de um dos maiores intérpretes do século 20, John Lennon, foi interrompida brutalmente em 8 de dezembro de 1980 já é conhecida. Contudo, pouco se fala sobre como foi o dia do cantor até se deparar com Mark Chapman, seu assassino e fã obcecado. Naquela segunda-feira, Lennon tinha uma rotina para cumprir, o homem tinha planos e metas, algumas ele conseguiu realizar, outras, nunca chegaram a acontecer.

Antes do fatal encontro 

O artista foi morto com quatro tiros por Chapman naquele 8 de dezembro, posteriormente o homem afirmou sentir raiva do cantor, que segundo o assassino, pregava um estilo de vida, mas, seguia outro.

Na fatídica ocasião, John passou o dia na companhia de sua esposa, Yoko Ono e de seu filho, Sean. Enquanto o assassino espreitava em frente ao prédio do artista — o famoso edifício Dakota em Nova York —, o cantor tinha alguns planos que conseguiu completar.

Naquela manhã o casal recebeu em seu apartamento a visita de uma das mais importantes fotógrafas do mundo, Annie Leibovitz. A profissional foi a última a registrar uma sessão de fotos de John e Yoko e a fotografia do casal, com Lennon nu e Ono de preto, se tornou uma das mais famosas da história.

A mulher foi até a residência do casal para fotografar a capa da revista Rolling Stone, em meio a polêmicas de que Yoko teria sido a causa da separação dos Beatles, ninguém desejava que os dois aparecessem juntos, entretanto, esse foi um pedido que John não abriu mão.


++ Rolling Stone: A emocionante última entrevista de John Lennon: 'Eu e Yoko ainda temos muito tempo para fazer tudo'


Após Annie deixar o apartamento, foi a vez de outro profissional entrar para a história, já que Lennon estava prestes a dar aquela que seria sua última entrevista. Assim que Leibovitz e seu assistente saíram do local, uma equipe da rádio RKO de São Francisco chegou ao edifício Dakota para entrevistar John e Yoko.

O entrevistador em questão era Dave Sholin. Na ocasião, o casal falou sobre o álbum Double Fantasy, sobre como levavam sua vida doméstica, filhos, como se conheceram e como era para eles trabalharem juntos. Para Sholin, aquela foi uma experiência incrível. Contudo, a entrevista não duraria muito — já que o casal tinha ainda mais planos naquele dia.

Edifício Dakota, a residência de Lennon e o local do assassinato / Crédito: Wikimedia Commons

 

Primeira saída

Por volta das 17h40 daquela tarde, a dupla deixou o Dakota, eles estavam um pouco atrasados, já que tinham um compromisso de trabalho. John e Yoko estavam a caminho do estúdio Record Plant, com o objetivo de mixar a música Walking on Thin Ice, canção realizada em parceria pelo casal, com Lennon na guitarra.

Ali, eles encontraram o homem que viria o assassino de John pela primeira vez, Chapman abordou o artista com uma cópia do disco Double Fantasy, antes que Lennon entrasse na limusine, o ex-Beatle lhe concedeu um autógrafo e escreveu: “John Lennon. Dezembro, 1980”. Essa cena que parecia corriqueira acabou sendo fotografada e também entrou para a história.

A fatídica volta

Yoko Ono e John Lennon quando se casaram, março de 1969 / Crédito: Wikimedia Commons

 

Pouco antes de morrer, Lennon havia lançado um álbum e planejava sair em turnê, o homem estava cada vez mais envolto em sua música e tinha muitos projetos que gostaria de realizar ao lado de sua amada. Contudo, seus sonhos foram interrompidos.

Os músicos passaram horas no estúdio, e só retornaram para o edifício por volta das 22h50, John decidiu que não iria jantar fora naquela noite, o homem planejava passar um tempo com seu filho e também gostaria de colocar o menino na cama.

Quando o casal saiu do veículo, o porteiro do prédio já havia avistado a presença de Chapman nos arcos do Dakota. Yoko passou pelo criminoso, Mark acenou para ela. Na vez de Lennon, o cantor olhou para o fã como se o reconhecesse de mais cedo. Foi ai que o assassino apontou seu revólver calibre 38 e atirou em John, foram cinco balas no total. Ono estava apenas alguns passos à frente do esposo.

Das cinco balas, duas atingiram a região das costas do artista e outras duas pegaram seu ombro esquerdo. No mesmo instante, Chapman foi detido pelo porteiro do prédio e em nenhum momento o criminoso cogitou fugir.

O ex-integrante da banda The Beatles, foi levado para um hospital, mas, as tentativas de reanimá-lo foram em vão. John Lennon foi declarado morto às 23h15 daquele movimentado 8 de dezembro de 1980. Sem funeral, seu corpo foi cremado dois dias depois.


+Saiba mais sobre os Beatles por meio das obras disponíveis na Amazon

The Beatles a biografia, Bob Spitz (2007) - https://amzn.to/34UWugM

Beatles 1966: o ano Revolucionário, Steve Turner (2018) - https://amzn.to/2DRxQl0

John Lennon: A Vida, Philip Norman (2009) - https://amzn.to/2YomyhL

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du