Coronavírus » Itália

Médico italiano é preso por ter fraudado vacinação

Giuseppe Rossi teria emitido certificado de imunização para pessoas não foram vacinadas

Fabio Previdelli Publicado em 05/01/2022, às 15h17

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

O médico italiano Giuseppe Rossi, de 67 anos, que atuava como clínico geral na comuna de Ascoli Piceno, no centro do país, foi preso sob acusação de fraudar “passes verdes” — documentação que contém comprovante de imunização contra a Covid e é obrigatório para circulação em diversos ponto do país. 

Além da falsificação de 150 documentos, Rossi também ‘autorizou’ a emissão de passes verdes para 73 pessoas que não se imunizaram. Ele ainda é acusado de peculato por ter retirado 120 doses da vacina do centro médico — as doses nunca foram utilizadas e passaram do prazo de validade. 

A operação policial apreendeu mais de 70 certificados sanitários adulterados e celulares de outros membros do esquema. Os demais envolvidos também devem ser levados a julgamento. 

Giuseppe Rossi enfrentará um procedimento disciplinar aberto pela Ordem dos Médicos de Ascoli Piceno. "Estou chocada diante dessa notícia", declarou Fiorella De Angelis, presidente da entidade.

Segundo informações da agência ANSA, esse não é o primeiro caso que acontece no país. Em novembro do ano passado, um médico foi preso no norte da Itália por emitir certificados sanitários para um grupo antivacina. O indivíduo cobraria cerca de 500 euros pelo certificado. Vale ressaltar que a imunização no país é gratuita.