Coronavírus » Brasil

Mulher que recebeu transplante de coração de Eloá Pimentel morre em decorrência da Covid-19

Em 2008, aos 15 anos, Eloá foi assassinada pelo ex-namorado Lindemberg Alves; o crime chocou o país na época

Fabio Previdelli Publicado em 04/05/2021, às 13h39 - Atualizado às 20h06

Augusta Anjos que recebeu o coração de Eloá Pimentel
Augusta Anjos que recebeu o coração de Eloá Pimentel - Divulgação/ Record TV

De acordo com informações do portal R7, Augusta Anjos, conhecida por ter recebido o coração de Eloá Pimentel, morreu na noite da última segunda-feira, 3, por complicações relacionadas ao novo coronavírus.  

Augusta havia testado positivo para a Covid-19 a cerca de um mês e estava internada em um hospital particular em São Paulo para tratar da doença, principalmente após precisar ser intubada. 

"Foram anos difíceis, cheios de batalhas e grandes vitórias", declarou sua sobrinha Jeanne Carlas nas redes sociais. "Foi muito sofrimento pra ela, pro vovô, para vovó, para os irmãos, para todos os familiares, mas principalmente para a Augusta". 

Ela fazia parte do grupo de risco da Covid-19, segundo informou o R7. O portal também disse que Augusta nasceu com uma doença grave no coração, por isso precisou receber um transplante — que foi doado após Eloá ter sido baleada, aos 15 anos, pelo ex-namorado Lindemberg Alves. O crime chocou o Brasil em 2008, como aponta matéria publicada pela equipe do site do Aventuras na História.

"Ela viveu da melhor forma que podia e todos nós, unidos, ao longo desses 51 anos, proporcionamos os melhores momentos e as melhores coisas para ela, por ela e com ela. Desde um simples caribé até carregar pra uma consulta ou prover bens materiais e dinheiro para garantir seu sustento e alegria. Foram muitas noites sem dormir, muitas preocupações", declarou Jeanne

"Chegou ao fim todo seu sofrimento, sem remédios, sem cirurgias, sem agulhas, sem máquinas, apenas a grandiosa face de Deus! Que a filha guerreira do seu Benedito e dona Matilde seja recebida por anjos, com muita música, alegria e abraços", disse a sobrinha após receber a notícia do hospital.


*ERRATA: a reportagem errou ao mencionar o ano da morte de Eloá. O conteúdo foi alterado!