Notícias » China

Chinesa infectada pelo novo coronavírus se defende após exposição de dados e ataques

A mulher recebeu inúmeros ataques após internautas descobrirem que ela havia visitado um bar, um salão de beleza, além de várias casas noturnas antes do diagnóstico

Giovanna Gomes Publicado em 14/12/2020, às 12h00

Representação do coronavírus
Representação do coronavírus - Pixabay

Uma mulher chinesa que contraiu Covid-19 foi publicamente envergonhada após um homem ter revelado seus dados pessoais através das redes sociais. As informações são da BBC.

De acordo com a polícia de Chengdu, no sudoeste da China, o jovem de 24 anos, identificado como Wang, recebeu "punição administrativa" pelo ocorrido. Já a vítima foi identificada pela mídia estatal apenas pelo sobrenome Zhao.

O ataque

Assim que a mulher recebeu a confirmação da doença na última terça-feira, 8, a autoridade de saúde local divulgou informações dos lugares que ela frequentou nas duas semanas anteriores com o intuito de realizar um rastreamento de contato. Zhao, no entanto, não havia sido identificada.

Porém, muitos usuários das redes sociais notaram que ela havia visitado um salão de beleza, um bar e várias casas noturnas.

Alguns deles disseram que ela foi "imprudente" e que teria espalhado o vírus pela cidade. Foi então que Wang divulgou seu nome e dados como endereço e número de telefone, de modo que inúmeros ataques foram desferidos contra a chinesa.

Com a exposição, Zhao implorou em um texto no site Toutiao que os ataques cessassem. Utilizando um pseudônimo, ela se defendeu das acusações, alegando que visitou várias casas noturnas como parte de seu trabalho, que envolvia "supervisionar a atmosfera e as vendas nos bares". 

Sobre a Covid-19

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou mais de 72 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 1.613.260 milhão de mortes, sendo mais de 181 mil delas apenas no Brasil, que está no segundo lugar entre os países onde mais pessoas morreram por complicações da Covid-19, atrás somente dos EUA, com 299.328 mil mortes causadas pelo novo vírus.