Coronavírus » Brasil

Recebendo ameaças de morte, juiz que decretou ‘lockdown’ no Maranhão solicita investigação policial

Douglas Martins determinou o fechamento completo de estabelecimentos não essenciais buscando evitar um colapso nas UTIs da região metropolitana de São Luís

Wallacy Ferrari Publicado em 05/05/2020, às 05h00 - Atualizado às 07h37

O juiz Douglas Martins em seu gabinete
O juiz Douglas Martins em seu gabinete - Divulgação

Titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís (MA), o juiz Douglas Martins solicitou a abertura de um inquérito à Polícia Civil para investigar ameaças de morte recebidas contra ele em uma rede social. De acordo com o magistrado, as tentativas de intimidação ocorreram após a determinação de um ‘lockdown’ na Ilha de São Luís.

Passando a vigorar a partir de hoje, 5, o fechamento completo de estabelecimentos comerciais não essenciais e a proibição da circulação de veículos de passeio foram decretados devido ao aumento de ocupação hospitalar do estado com o novo coronavírus. A medida é válida para as cidades de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa.

Em entrevista ao UOL, Douglas afirmou que não apenas recebeu comentários públicos em relação a sua atuação jurídica, mas também dezenas de mensagens diretas em seu perfil pessoal no Instagram: “Não dei atenção, nem dei resposta. Foi uma sequência de ameaças enviadas em dias diferentes”, acrescentou o juiz.

Buscando reverter a decisão do juiz, as mensagens intolerantes foram comunicadas ao setor de segurança do Tribunal de Justiça e ao Ministério Público. “Isso é uma coação no curso do processo; ou seja, tentar impedir pela via da intimidação ou ameaça que uma autoridade decida de uma forma ou de outra”, concluiu Douglas.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), compactuou com a decisão e implantou barreiras policiais espalhadas pelos municípios onde a medida é válida para impedir a circulação de pessoas que não prestam serviços essenciais na região metropolitana da cidade.