Coronavírus » Pandemia

A relação de Elon Musk com a pandemia de coronavírus

De tweets polêmicos menosprezando a doença, ao fechamento obrigatório de sua multinacional — Tesla

Penélope Coelho Publicado em 20/03/2020, às 18h18

CEO da Tesla, Elon Musk- em conferência
CEO da Tesla, Elon Musk- em conferência - Wikimedia Commons

O modo com que o empresário Elon Musk reage sobre a crise do coronavírus, vem causando grandes discussões nas redes sociais. Mesmo com autoridades públicas em todo o mundo alertando sobre a importância do distanciamento social e da auto quarentena - que já está sendo imposta em muitos países, como método de contenção da propagação do vírus, Musk usou sua conta no Twitter no dia 6 de março para afirmar que o pânico em volta disso era “idiotice”.

Mas, nada como um dia após o outro, e a sua visão sobre o assunto parece ter mudado. No início dessa semana, 17, Elon Musk foi obrigado pelas autoridades de saúde, a reduzir as operações de uma das unidades de sua empresa automotiva e de armazenamento de energia, Tesla, no estado americano da Califórnia. 

Nas últimas semanas o CEO, subestimou os riscos da pandemia, afirmando que acidentes de carro causam mais vítimas. Porém, em um e-mail aos funcionários ele alegou que quem não estivesse se sentido bem poderia ficar em casa: “Primeiro, eu gostaria de dizer que, se você se sentir um pouco doente ou desconfortável, não se sinta obrigado a ir trabalhar. Eu pessoalmente estarei no trabalho, mas sou apenas eu. Muitos rumores estão surgindo, mas, até onde sabemos, ninguém na Tesla testou positivo para o COVID-19. Vou informá-los imediatamente se algo mudar”. Escreveu Musk.

Em outra fala na rede social, na tarde de ontem, 19, em uma sessão de perguntas e respostas com seus seguidores, ele causou mais polêmicas afirmando que as crianças são essencialmente imunes ao vírus, e que somente os idosos eram vulneráveis. O próprio Twitter, havia declarado que removeria informações falsas sobre o coronavírus que propagassem na rede. E nas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) existem informações sobre o tratamento de crianças que estiverem com a doença. Mas, o Twitter decidiu pelo contexto da conversa que empresário teve com seus seguidores, manter as postagens.

Agora Musk parece estar levando o coronavírus mais a sério, e afirmou estar disposto a produzir ventiladores mecânicos pulmonares para hospitais, caso a demanda fique muito grande e os leitos estejam necessitados do equipamento. Porém, seus tweets controversos sobre a doença permanecem em sua página oficial, com mais de 32 mil seguidores.

Nos Estados Unidos, o Centro para Prevenção e Controle, reportou na última quarta-feira, 18, mais de 7 mil casos confirmados de coronavírus no país, um aumento de 2 mil em relação ao relatório anterior. O número de mortes também subiu, foi de 22 para 97. No Brasil, há 621 casos confirmados de pacientes com o vírus, com 7 falecimentos. E a situação de países como a Itália está alarmante, o número de mortes pelo Covid-19 já é de 3.405 pessoas, ultrapassando a China com 3.245.