Testeira
Colunas / Daniel Bydlowski » Entretenimento

Com mais de 70 filmes, Robert De Niro foi pai de família, mafioso, militar, apostador e muito mais

Conheça o processo de criação dos personagens nos 78 anos do artista

Coluna - Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 17/08/2021, às 15h28

Robert De Niro como Travis Bickle
Robert De Niro como Travis Bickle - Divulgação

Quase um longa por ano vivido, Robert De Niro completa 78 anos e mostra a todos como ter uma carreira sólida em Hollywood. Vencedor de 2 Oscars, 1 Globo de Ouro, e indicado a mais de 20 premiações como estas, o ator conseguiu encantar o mundo com os mais diversos tipos de personagens.

Dia 17 de agosto é seu aniversário, se engana quem acredita que ele só tem cara de mafioso, e, por isso, para comemorar resolvi escrever sobre os personagens mais discrepantes e falar de sua maestria em dar vida a cada um deles.

1. Travis Bickle (Taxi Driver - 1976)

Militar veterano, Bickle começa a trabalhar como taxista na noite de Nova York, com rotas bastante perigosas atendendo cafetões, traficantes e ladrões.

Cena de Taxi Driver //Crédito: Divulgação/Bill/Phillips Productions e Italo/Judeo Productions

 

Quando ele percebe que está começando a ter distúrbios sérios de personalidade e ao ser rejeitado pela mulher por quem se apaixonou, começa a se preparar para uma guerra, que só ele achava que existia, e acaba obcecado em salvar uma menina prostituída aos 12 anos.

Mas a questão é, toda loucura que o personagem carrega, os olhos que carregam a dor de um mundo. Foi uma das vezes que vi o rosto de De Niro se transformar. Além disso, trouxe um improviso, que inclusive caiu muito bem ao personagem, quando disse a frase 'You talkin' to me', (Você está falando comigo?, em tradução livre).


2. Jack Byrnes (Entrando numa Fria - 2000)

Carrancudo personagem, pai de uma linda mulher que se casa com um desajeitado homem. Ele tem aquele tom do bravo cômico que acaba por se deixar levar por situações que contribuem para o seu mal humor.

Cena do filme Entrando numa Fria - 2000 //Divulgação: Tribeca Productions; Nancy Tenenbaum Productions

 

Não é um dos seus melhores personagens. Mas despir-se dos personagens sérios e que nos envolvem em dramas e armadilhas, foi uma conquista e tanto para o ator, que não deixou a desejar.

A figura super protetora foi realmente algo que podemos falar que realmente parecia aqueles pais à moda antiga, que não esmorece de forma alguma. Em seu personagem ele consegui mesclar bem e divertir a todos.


3. Jake LaMotta (Touro Indomável - 1980)

Dessa vez ele incorporou um lutador real. O peso-médio ítalo-americano com características bastante destrutivas para si e para sua família, destruir tudo ao seu redor quando se envolve em uma teia de obsessão, ciúme e apetite sexual doentios.

Este personagem teve uma grande ajuda do próprio De Niro para acontecer, após ler a autobiografia, pediu ao Scorsese que colocasse a história do lutador nas telonas e, não por menos, ganhou um Oscar.

Para interpretar LaMotta, ele conheceu o próprio, sua esposa e passou a praticar o sotaque do Bronx. Engordou 27 quilos para viver o pugilista depois da aposentadoria. Com muito estudo e dedicação, o rei dos mafiosos, conseguiu chegar ao ápice que fez, inclusive, o próprio lutador questionar a sua esposa se ele havia sido tão ruim quanto o ator tinha incorporado no filme, e a resposta foi afirmativa.


4. Dwight Hanses (O Despertar de um Homem - 1993)

Nem todo carisma de Robert De Niro salva esse personagem, não conseguimos deixar de nos enojar com tamanha crueldade. Hanses se casa com Caroline, ela na intenção de dar um lar estável para seu filho, Tobias. Mas não é isso que ela encontra, mas sim exatamente ao contrário.

O padrasto começa a abusar psicológica e fisicamente de seu enteado, marcando a vida de mãe e filho de uma forma inescrupulosa. A química entre De Niro e DiCaprio, que interpreta Tobias, transparece em puro ódio e rivalidade, uma esfera muito bem construída e mantida pelo ator mais experiente, que consegue elucidar muito bem a obsessão de um homem que é cheio de pensamentos agressivos e se mostra um grande homem à sociedade.


5. David Callaway (O Amigo Oculto - 2005)

Até que a viuvez lhe caiu bem, pois se preocupou com cada passo que dava por conta de sua filha pequena, Emily. O ator encara um desafio sério, ver a família do personagem ruir e uma força “sobrenatural” fazer o resto do trabalho, colocando todos em perigo.

Tirando o brilhantismo de Dakota Fanning, o aniversariante faz com que o filme não se perca. Callaway faz o que precisa fazer na hora certa e enlouquece no momento necessário. E apesar de não ter sido o melhor filme dele, por conta do roteiro, sua atuação e a troca com a atriz mirim conseguiram salvar o filme de ser um pouco fora do esperado.

Seja em qual personagem que for, Robert De Niro é um mestre da interpretação. Consegue alcançar os anseios mais profundos da mente em que precisa se encaixar.


Sobre o cineasta

O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em NewPort Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.