Testeira
Colunas / Daniel Bydlowski » Entretenimento

Veja o que cada ator que viveu o 'Batman' trouxe de bom a saga

O Cavaleiro das Trevas é inesquecível, mas sempre haverá um pouco do melhor do Homem Morcego em cada um deles

Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 13/03/2022, às 09h00

Diferentes atores que viveram o Batman
Diferentes atores que viveram o Batman - Divulgação

Acredito que todos os geeks, e até os que não são tanto, mas que são vidrados na maior história já lida e vista de um órfão, já viram o novo filme The Batman’, com a direção de Matt Reeves e a atuação de Robert Pattinson, o eterno Edward Cullen, da saga ‘Crepúsculo’, que se enquadrou exatamente no personagem criado pelo diretor de Planeta dos Macacos.

Mas a pergunta é: ele realmente se encaixou em Batman ou apenas na proposta? Acredito que um pouco dos dois, assim como todos outros intérpretes desse personagem tão querido.

São ao todo nove blockbusters de Batman, tirando a vez que ele contracena o filme inteiro com o Superman, e dentre todos esses, são seis atores diferentes na pele do Morcego. Realmente, nem todas as escolhas foram das mais sábias, porém, conseguimos tirar um pouco do herói do quadrinho de cada um deles.

O que realmente se precisa para ser um Batman exemplar? Está é uma pergunta difícil, o herói divide a maioria das opiniões como o queridinho entre personagens como o Homem de Aço, o Homem Aranha e Capitão América.

Portanto, as expectativas para cada um deles são gigantes, o que faz ser bem complicado acertar a receita entre um bom enredo, o ator escolhido e também tudo que o permeia, como os vilões, Alfred, Selina Kyle e o comissário Gordan.

Interpretar o Homem Morcego, com toda certeza, é um desafio. Mas, em ordem cronológica, vamos entender o que cada ator trouxe de bom a essa saga que já conquistou R$ 648 milhões apenas neste último filme, e em menos de uma semana.

Batman: O Filme (1966)

O solitário Morcego aparece pela primeira vez nas telonas, e quase sem parâmetro de como interpretar um herói, pois na época não havia muitos. No papel, Adam West, que acompanhava sua época.

Crédito: Divulgação

Na pegada do seriado, West incorporou um tremendo de um bonachão, quase vencedor pela sorte. Realmente para os anos 60 cabia muito, mas esse personagem não tem nenhuma contribuição direta para os que vemos hoje, o misterioso.


Batman (1989)

Este longa foi a disrupção de como seria o nosso herói que vemos hoje. Dirigido por Tim Burton e estrelado por Michael Keaton, se tornou uma das versões mais criticadas de forma positiva.

Crédito: Divulgação

Com um ar meio galanteador, e a imposição da seriedade do alter ego de Bruce Wayne, Keaton fez história, desvinculou sua imagem da comédia e conseguiu trazer a versão pulp do universo de Burton e do próprio personagem dos quadrinhos. Ainda, para o sucesso, teve a presença de Jack Nicholson no papel de Coringa, e, claro, com uma boa contracena, o ator se destaca mais ainda.


Batman: O Retorno (1992)

Ainda com Burton e Keaton, a estética deste filme é impecável e o ambiente meio que depressivo tomou ainda mais espaço. E o protagonista interage muito bem com toda essa fórmula.

Crédito: Divulgação

Foi uma sequência exata e mais uma vez, o ator conhecido por suas comédias, deu vida ao Homem Morcego que as pessoas preferem ver em uma comédia sádica e sombria.


Batman Eternamente (1995)

Val Kilmer de início era o ator perfeito para dar vida a um personagem sério e egocentrista, porém não convence, parece ter pressa em acabar com aquilo logo. Mas acredito que o enredo todo o obrigou a tomar uma postura mais “colorida” vamos dizer assim.

Crédito: Divulgação

Uma junção de muitos elementos e personagens bombardeando o herói traz um pouco de confusão ao filme de Joel Schumacher. Fica até difícil de avaliar o ator-personagem, portanto, tirou um pouco do foco de quem leva o nome do filme. Acredito que se houvesse a oportunidade Kilmer não nos desapontaria.


Batman e Robin (1997)

No gosto do público geral e no desgosto dos aficionados, o filme de Joel Schumacher, em que George Clooney estrela como Homem Morcego não está no top 5 da lista, e mais uma vez mostra a marca do diretor. Muitos elementos, muitas cores, histórias acontecendo ao mesmo tempo.

Não sabemos nem mesmo informar se Clooney daria conta de um Batman como a gente gosta de ver: misterioso, sério e, até um pouco, egoísta, um anti-herói mesmo, ele nos parece um pouco simpático demais, não? Mas de qualquer forma, a leveza do personagem poderia ser usada enquanto Bruce Wayne.


Batman Begins (2005)

Christopher Nolan chegou para dar vida a um novo Batman como diretor, e o papel principal foi para Christian Bale. Agora sim, temos um herói atormentado pela morte dos pais e com uma pegada de justiceiro. Toda essa forma de ver a trama, deu a Bale muita munição para chegar no Morcego que o público queria ver.

Crédito: Divulgação

O ator conseguiu imprimir todas as amarguras do herdeiro das empresas Wayne e se faz o melhor Homem Morcego da história. Realmente parece que temos um rico e mimado na pele de Bruce; e um assustador vingador enquanto o homem que carrega a insígnia no peito. Ele fez escola, e os próximos deveriam aprender.


Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008)

A saga de Nolan continua. E se os vilões tinham medo do Begins, aqui ficou sério. O alterego de Bruce Wayne volta com vontade de levar uma vida normal, mas sua raiva sempre esteve ali e sempre estará, o que torna difícil abrir mão da capa e das noitadas pelos prédios de Gotham.

Ainda, o enredo todo é tão forte que quase, por um fio, o protagonista não vira coadjuvante. Acredito muito na força de Bale, que não deixou isso acontecer. Ele continua mostrando o Batman que queríamos ver... Um homem “sem risadinha” como dizem por aí.

E mais uma vez, a contracena também ajudou ao intérprete principal, Heath Ledger superou todas as expectativas como Coringa e essa dupla realmente nos deixou vidrados nas cenas.


Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

O Wayne de capa volta, afinal, Selina Kayle chama a atenção mesmo. E nesse, ainda com a direção de Nolan, a expectativa era grande, dados os sucessos anteriores do diretor e do ator que interpreta o herói. A questão é, Bale se consagra como o melhor Homem Morcego da história.

Crédito: Divulgação

Isso se deve não só aos antagonistas que proporcionaram muito espaço para que ele crescesse, mas também pela sua desenvoltura em relação às habilidades de Batman. Com atuação sólida ele inibe qualquer caricatura do herói. Um herói possível para a realidade, e isso faz dele, a melhor versão.


The Batman (2022)

O novo Batman traz a escola de Nolan, talvez um pouco mais sombrio até. Com a direção de Matt Reeves, a interpretação de Robert Pattinson mostrou que ele estava preparado para o papel.

Crédito: Divulgação

É tipo uma mistura de personagens indie com a interpretação de Bale. Ele achou sua própria fórmula e seguiu firmemente. Porém, ainda precisamos de um tempo para digerir essa nova versão de Bruce e Batman.


Sobre o cineasta

O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em NewPort Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.