Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Desventuras / Cultura

Na Guerra Fria, 'Fazenda dos animais' foi utilizada como propaganda ideológica anticomunista

Veja as curiosas referências políticas em Fazenda dos animais

Redação Publicado em 16/02/2022, às 15h47

Cena de 'A Revolução dos Bichos' - Divulgação/Vídeo/Youtube
Cena de 'A Revolução dos Bichos' - Divulgação/Vídeo/Youtube

Publicado em agosto de 1945, o lançamento da Tordesilhas Livros de janeiro, Fazenda dos animais, é considerado a alegoria mais famosa do século XX.

Ainda que tenha sido lançada há mais de 75 anos, é curioso observar que a obra poderia ter sido escrita até mesmo nos dias de hoje, já que seus personagens permanecem tão atuais.

É irônico também que George Orwell seja tão citado e lido por militantes de direita e extrema-direita, já que o autor era declaradamente socialista democrático. A grande questão é que, durante a Guerra Fria, Fazenda dos animais foi utilizada como propaganda ideológica anticomunista.

É um fato que a obra é uma crítica ácida ao sistema político implantado na União Soviética após a Revolução Russa.

Registro da obra 'Fazenda dos Animais' /Crédito: Divulgação/Tordesilhas 

Mas, muito longe de ser uma cartilha antiesquerdista, o texto revela a genialidade do autor em conseguir referenciar personalidades e fatores políticos nos animais da Fazenda Palacete, o que o torna atemporal.

Em uma leitura mais despretensiosa, a fábula pode parecer apenas uma narrativa satírica que acompanha a revolta dos animais de uma fazenda contra as explorações e a tirania dos humanos, mas gradativamente, veem a implantação e consolidação de um sistema muito diferente do que era imaginado.

A verdade é que cada figura da obra possui um equivalente histórico. Abaixo, listamos alguns dos personagens e os referenciais que cada um representa.

Depois que os paralelos forem estabelecidos, é impossível ler Fazenda dos animais com um olhar menos atento e não se chocar com as características que poderiam descrever figuras tão atuais.

Confira abaixo!

1. Major – Karl Marx ou Lenin

Toda a revolta se inicia quando o velho porco Major convoca os animais da Fazenda Palacente e conta sobre seu sonho de criar uma granja governada por animais. A maioria relaciona a figura dele com Marx, mas alguns também fazem um paralelo com Lenin, um dos líderes da Revolução Russa.

2. Bola-de-neve – Leon Trótski

Um dos porcos líderes da revolta dos bichos. Considerado um herói de batalha, ele defendia a ideia que revolução deveria se espalhar para outras propriedades. O personagem é o correspondente histórico de Leon Trótski, líder bolchevique, rival de Stalin, que foi exilado e se refugiou no México, onde foi assassinado.

3. Napoleão – Josef Stalin

Um dos porcos líderes da revolução, após a morte de Major, ele arquiteta um golpe contra Bola-de-neve. Gradativamente, vai se tornando despótico e adotando atitudes humanas. Sua figura representa Josef Stalin, líder da União Soviética.

4. Sr. Jones – Czar Nicolau II

Tirano, o dono da Fazenda Palacete explora os animais que vivem em péssimas condições, passando fome e com altas cargas de trabalho. Seu equivalente histórico é o Czar Nicolau II, líder da família imperial russa que foi assassinada após a tomada de poder dos bolcheviques durante a Revolução Russa.

5. Garganta – A propaganda

Carismático e bom de lábia, o porco é o porta-voz do líder Napoleão. Sempre justifica os privilégios e os desmandos despóticos dos porcos. Esse personagem representa o poder da propaganda soviética utilizada para conter a insatisfação e divulgar os avanços do governo para a população.

6. As ovelhas – As massas alienadas

Limitadas intelectualmente e facilmente influenciáveis, a qualquer crítica ao governo de Napoleão, elas começam a balir “Quatro pernas bom, duas pernas ruim!”. Elas personificam a população russa menos instruída que acreditava nas propagandas do Governos Stalinista e não aceitavam que seu líder fosse criticado, defendendo-o com unhas e dentes.

7. Os cachorros – A KGB

Os nove filhotes foram separados da mãe ainda pequenos e foram criados sob a tutela de Napoleão. Ao crescerem, tornaram-se sua feroz guarda particular. Esses animais representam a KGB, a polícia secreta de Stalin, utilizada para perseguir seus opositores.