Notícias » Brasil

Lula faz comentário em solidariedade à Felipe Neto: "Silenciamento é uma arma do fascismo"

O influencer recebeu na última segunda-feira, 15, uma intimação da polícia

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 16/03/2021, às 14h48

Montagem com Lula e Felipe Neto
Montagem com Lula e Felipe Neto - Divulgação

O youtuber Felipe Neto postou em sua conta do Twitter na noite de ontem, 15, sobre o recebimento de uma intimação da polícia após ter chamado Jair Bolsonaro de “genocida” devido à maneira como o presidente agiu em relação à pandemia. O ato foi considerado pelo documento um “crime contra a segurança nacional”. 

A publicação acabou viralizando, com diversas figuras públicas e políticos expressando apoio ao influencer, como Luciana Genro, Alexandre Molon, Manuela D’Ávila e mais recentemente, o ex-presidente Lula também: 

"Manifesto minha solidariedade a Felipe Neto. Que a tentativa de intimidação e censura desse desgoverno não o impeça de continuar se manifestando livremente, como é próprio da democracia, independente de sua posição. O silenciamento é uma das armas do fascismo", escreveu o petista em seu Twitter

Neto ainda respondeu ao político através da rede social, afirmando que: “Passei mais de 5 anos atacando o Lula. Nunca recebi sequer uma notificação. Nunca tentou me silenciar. Isso diz muito”.

Ministro do STF anula condenações do ex-presidente Lula

Em decisão de caráter processual, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, anulou todas as acusações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Assim, segundo o G1, o político volta a ser elegível no país.

Em novembro de 2020, a defesa do ex-presidente entrou com o pedido de habeas corpus. Agora, ao aceitar a exigência, Fachin considerou que a Justiça Federal do Paraná não tem a competência necessária para julgar os casos do sítio de Atibaia, do triplex do Guarujá e das doações ao Instituto Lula.

De acordo com a decisão do ministro, a 13ª Vara Federal de Curitiba não era o "juiz natural" das acusações. Ainda assim, Fachin não considerou o método das condenações relacionadas à Lava Jato, já que a decisão correu em âmbito processual.

++Leia a matéria completa aqui.