Coronavírus » Pandemia

Além dos humanos, macacos também podem ser contaminados pelo Covid-19

Autoridades de conservação das espécies alertam para os cuidados que os animais devem receber nesse momento

Caio Tortamano Publicado em 27/03/2020, às 10h45

Chimpanzé-comum é uma das espécies que se encaixam no grupo dos Grandes Símios, e pode ser afetada pelo corona
Chimpanzé-comum é uma das espécies que se encaixam no grupo dos Grandes Símios, e pode ser afetada pelo corona - Wikimedia Commons

Atingindo mais de 500 mil pessoas ao redor do mundo, o novo coronavírus também pode ser nocivo para os grandes símios. Essa é a classificação que animais como chimpanzés, orangotangos e gorilas receberam. Dividindo 98% do material genético com essas espécies, sofremos com a maioria das doenças respiratórias que eles, e vice-versa.

O Consórcio de Saúde dos Grandes Símios não afirmou, porém, se os primatas podem ser afetados pelo coronavírus da mesma forma como os humanos são. Entretanto, a organização alerta aos governos que as interações com esses animais em reservatórios naturais e zoológicos devem ser imediatamente suspensas no mundo todo.

Para os especialistas é melhor presumir, a esse ponto da pandemia, que os símios são suscetíveis a se infectarem com o Covid-19. As equipes veterinárias que não poderão interromper o contato com os bichos devem respeitar uma distância de, no mínimo, 7 metros com os animais.

Ao redor do mundo, já são mais de meio milhão de casos confirmados, com mais de 20 mil mortes confirmadas em razão do novo coronavírus. O Brasil apresenta mais de 2,5 mil infectados pelo vírus e mais de 60 mortos, até o momento.