Coronavírus » Pandemia

China cobra “enormes provas” dos EUA sobre a origem do vírus no país

Autoridades chinesas pressionam os Estados Unidos para que apresentem as possíveis evidências

Penélope Coelho Publicado em 06/05/2020, às 10h28

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping - Wikimedia Commons

Incomodados com recentes declarações norte-americanas sobre a origem do coronavírus em laboratório, o governo chinês desafiou o secretário de Estado, Mike Pompeo, a mostrar as “enormes provas” de que o país asiático tenha relação direta com o surgimento da Covid-19.

O embate aconteceu devido à fala de Pompeo no último domingo, 3. O Secretário, assim como Donald Trump — voltou a afirmar que a China foi o país responsável pela propagação do novo coronavírus. Mesmo que diversas pesquisas, inclusive feitas nos Estados Unidos, já tenham comprovado que o vírus tem origem animal e não foi fabricado pelo homem.

“Ele falou muito nos últimos dias. Diz ter enormes provas? Que as mostre. Pompeo não pode apresentar evidências porque ele não as têm. A origem da Covid-19 é uma questão para cientistas e para especialistas”, afirmou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying.

Na última terça-feira, 5, Trump retomou o assunto e disse que os Estados Unidos divulgarão em breve um relatório completo sobre a procedência do coronavírus. Além disso, o norte-americano fez críticas ao presidente da China Xi Jinping, dizendo que o mandatório chinês deveria tê-lo avisado do novo vírus logo quando surgiu.

Coronavírus na China e Estados Unidos

Segundo os últimos dados divulgados pelos dois países, a China tem atualmente 82.883 casos confirmados da doença, os mortos são 4.633 e os recuperados 77.911.

Já os Estados Unidos apresentam 1,23 milhões de pacientes infectados, as mortes somam mais de 72 mil. No país 164 mil pessoas que pegaram o novo coronavírus, já estão recuperadas.