Coronavírus » Irã

"Seus líderes são terroristas, mentirosos e charlatões": Aiatolá iraniano nega ajuda americana contra coronavírus

“Os americanos ofereceram-se várias vezes para ajudar o Irã a conter o vírus. Mas vocês são acusados de criar o vírus", declarou Ali Khamenei

Fabio Previdelli Publicado em 23/03/2020, às 10h00

Líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei
Líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei - Getty Images

O Irã é um dos países do Oriente que mais sofre com a pandemia do coronavírus — atualmente, por lá, 1.685 pessoas já morreram e mais de 21 mil estão infectadas. Mesmo assim, o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, negou, em discurso televisionado no último domingo, 22, uma possível ajuda dos norte-americanos.

"Os americanos ofereceram-se várias vezes para ajudar o Irã a conter o vírus. Mas vocês são acusados de criar o vírus. Eu não sei se isso é verdade, mas é estranho que queiram ajudar o Irã", disse.

O país também culpa as sanções impostas pelos americanos como um fator que dificulta a contenção da propagação do vírus. "Vocês [os EUA] estão enfrentando escassez na sua batalha contra o vírus", recordou o aiatolá.

"Não sei se isso é verdade. Mas, quando existe tal alegação, um homem sábio pode confiar em você e aceitar sua oferta de ajuda? Você pode estar dando medicamentos ao Irã que espalham o vírus ou fazem com que ele permaneça de forma permanente por aqui."

Os iranianos chegaram a pedir um empréstimo ao Fundo Monetário Internacional (FMI), mas como o Banco Central do país é classificado como uma “organização terrorista” pelos EUA, os líderes enfrentam dificuldades para obterem a liberação de recursos.

"Nosso inimigo número um é a América. É o inimigo mais perverso e sinistro do Irã... seus líderes são terroristas... mentirosos e charlatões", concluiu o líder supremo.