Coronavírus » Pandemia

Após responsabilizar homossexuais pela pandemia, líder religioso da Ucrânia testa positivo

O chefe da Igreja Ortodoxa Ucraniana, Patriarca Filaret, havia afirmado que a Covid-19 era uma “punição divina”

Penélope Coelho Publicado em 09/09/2020, às 10h37

Fotografia do Patriarca Filaret
Fotografia do Patriarca Filaret - Wikimedia Commons

De acordo com informações do portal de notícias G1, a Igreja Ortodoxa da Ucrânia, anunciou na última terça-feira, 4, que o líder da instituição, patriarca Filaret está infectado pelo novo coronavírus.

Em março deste ano, logo no início da pandemia, o religioso havia feito declarações polêmicas sobre o novo vírus. De acordo com o homem, a Covid-19 era uma "punição pelos pecados dos homens e pela humanidade pecaminosa [...] Estou falando de casamento entre pessoas do mesmo sexo”, acrescentou Filaret durante uma entrevista para uma rede de televisão ucraniana.

Na ocasião, o Insight, grupo de ativistas que luta pelos direitos da população LGBTQI+ no país havia entrado com um processo contra o religioso, que por sua vez, afirmou que tem “liberdade para expressar suas visões”. A Ucrânia é considerada uma das nações menos seguras para a comunidade LGBT.

A Igreja Ortodoxa Ucraniana afirmou em nota que o estado de saúde de do homem é “satisfatório” e que ele está recebendo tratamento hospitalar, além disso, a igreja pediu para que a comunidade orasse por Filaret.

Coronavírus na Ucrânia

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, a Ucrânia tem atualmente 143.030 mil casos de infecção pela Covid-19, com 64.703 mil recuperados e 2.979 vítimas fatais do novo vírus.