Coronavírus » Ciência

Estudo de Harvard revela que mulheres negras são as maiores vítimas da Covid-19 nos EUA

A equipe de pesquisadores analisou dados da pandemia conforme gênero e raça

Giovanna Gomes, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 12/04/2021, às 10h31

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Freepic

Segundo uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Harvard sobre os números da pandemia de Covid-19 em solo norte-americano, mulheres negras estão morrendo muito mais pela doença do que os homens brancos e asiáticos.

Conforme repercutido pela Galileu, o estudo foi realizado levando em consideração apenas os estados do Michigan e da Georgia, já que estes são os únicos que disponibilizam dados conforme idade, gênero e raça.

"Essa análise complica a narrativa simples de que homens estão morrendo mais por Covid-19 do que mulheres", declarou Tamara Rushovich, a principal autora do estudo. 

Os resultados foram pubicados no Journal of General Internal Medicine pela equipe do laboratório Gender Sci Lab. No artigo, fica claro que a taxa de mortalidade entre as mulheres negras é quase quatro vezes maior do que entre os homens brancos. Também é três vezes maior se comparado a homens asiáticos.

"Sem olhar para as intersecções de gênero e raça, a noção generalista de que a realidade das mulheres com Covid-19 é melhor do que a dos homens acaba tornando invisível a alta taxa de mortalidade das mulheres negras", diz o comunicado feito pela Universidade de Harvard.

O estudo diz ainda que homens negros morrem muito mais de Covid-19 do que qualquer outro grupo, sendo que a taxa de mortalidade entre eles é seis vezes maior em relação à de mulheres brancas. Estas, por sua vez, possuem uma taxa três vezes menor se comparado às negras.