Coronavírus » Estados Unidos

Mulher que defendia tratamento de Covid-19 com ivermectina morre pelo vírus

A norte-americana Veronica Wolski tinha 64 anos e faleceu na última segunda-feira, 13, em um hospital de Chicago

Redação Publicado em 15/09/2021, às 15h00 - Atualizado às 16h00

Fotografia da norte-americana Veronica Wolski
Fotografia da norte-americana Veronica Wolski - Divulgação/ Youtube

Há cerca de duas semanas, a norte-americana Veronica Wolski foi internada no Amita Resurrection Health Medical Center, em Chicago, nos Estados Unidos. Diagnosticada com sintomas do Coronavírus, a mulher de 64 anos faleceu na última segunda-feira, 13.

Segundo informações do site da TV Cultura, a paciente chamou atenção das manchetes do país por exigir que seu quadro fosse tratado com ivermectina — embora autoridades internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), já tenham comprovado a ineficácia do medicamento no combate ao Coronavírus.

Em suas redes sociais, Veronica ainda compartilhava posicionamentos antivacina e, em diversas publicações, questionava o uso de máscaras durante a pandemia. “Nunca usei máscara. Chamei a polícia para pessoas que tentaram me obrigar a usar máscara”, narrou a mulher em um dos vídeos que publicou na internet.

Conhecida nos Estados Unidos por exibir faixas com dizeres negacionistas em uma ponte de Chicago, Veronica também defendia a chamada QAnon, uma teoria da conspiração criada por membros da extrema direita dos EUA, ainda de acordo com o site da Cultura.