Testeira

Oscar 2022: 5 filmes que você não pode deixar de assistir antes da premiação

94.ª cerimônia de entrega dos Academy Awards acontece no próximo dia 27

Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 19/03/2022, às 13h00

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Getty Images

Se você é um amante da sétima arte como eu, certamente sabe que a 94ª cerimônia de entrega dos Academy Awards, o Oscar de 2022, está bem próxima. Apresentado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, o evento celebrará os melhores filmes, atores, diretores e muito mais que tomaram conta das telonas no último ano.

Como as últimas edições do evento ou foram televisionadas, ou adiadas por conta do avanço da pandemia de Covid-19, este ano a expectativa é de uma cerimônia presencial completa aconteça no domingo, dia 27 de março, no Dolby Theatre em Los Angeles. 

Inclusive com a volta da tradição dos anfitriões, quebrada há 4 anos. Desta vez, quem fará a apresentação do mais importante evento do universo cinematográfico é Regina Hall, Amy Schumer e Wanda Sykes.

Apesar de algumas ausências como a indicação de Lady Gaga por sua performance em Casa Gucci, a noite promete trazer grandes conquistas. Portanto, segurem as emoções e se preparem! Entre os indicados temos, claro, os destaques que devem ser vistos antes da grande noite. Para ajudar na organização do pré-evento, preparei uma lista com os 5 filmes favoritos e ainda conto onde você pode assisti-los.

Ataque dos cães (Netflix)

O longa dirigido por Jane Campion é provavelmente o grande preferido desta edição. Com 12 indicações e produzido pela Netflix, o filme estrelado por Benedict Cumberbatch, Kristen Dunst e Jesse Plemons está entre nada menos que as 10 principais categorias da disputa e, caso premiado, pode render frutos para a eternidade. 

Ataque de Cães/ Crédito: Netflix

Se a diretora de fotografia australiana, Ari Wegner, faturar a estatueta de Melhor Fotografia, ela será a primeira mulher da história a ganhá-lo. Este é o único prêmio, que em 93 anos, sempre foi masculino. 

Já a cineasta Jane Campion também pode marcar a trajetória do Oscar como a terceira mulher a conquistar o prêmio de Melhor Direção. A produção que ainda concorre como Melhor filme, Melhor ator Principal (Benedict Cumberbatch), Melhor atriz coadjuvante (Kristen Dunst), Melhor ator coadjuvante (Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee), Melhor trilha sonora original, Melhor mixagem de som, Melhor roteiro adaptado, Melhor montagem e Melhor direção de arte apresenta o drama acerca da narrativa da masculinidade no faroeste norte-americano. 

É Jane e as incríveis atuações dos atores e atrizes que conseguem desconstruir muitos tabus que envolvem o tema. Entre desejos disfarçados, superações e violências veladas, ou nem tanto, a adaptação do romance homônimo de Thomas Savage, traz verdades não verbalizadas como o pânico ao assédio, a raiva, o poder e a opressão. O filme pode ser assistido na plataforma de streaming, Netflix.


Duna (HBO Max)

Com 10 indicações ao Oscar, a nova adaptação de Duna por Denis Villeneuve, clássico da ficção científica do escritor Frank Herbert, está disponível na plataforma de streaming HBO Max e alguns cinemas. No filme distópico, Paul Atreides, interpretado por Timothée Chalamet, se torna uma espécie de salvador do planeta Arrakis, conhecido como Duna. 

Duna/ Crédito: HBO Max

A história que se passa no ano de 10.191 após o Jihad Butleriano, a guerra da humanidade contra as máquinas que dá origem ao universo de Duna, não é explicado no filme de Villeneuve, mas é o motivo de não vermos computadores ou robôs inteligente na batalha futurista. 

Com fortes mensagens sociais, como a falta de água, condições ambientais extremas e intrigas políticas, o filme também leva grandes nomes como Zendaya, Rebecca Ferguson e Oscar Isaac.


Belfast (Em sessões de cinema)

Estrelado pelo galã da série 50 tons de cinza, Jamie Dornan e Caitriona Balfe, de Outlander, o longa é sem dúvidas outro grande destaque da noite com 7 indicações como Melhor Filme, Melhor diretor, Melhor ator e atriz coadjuvante, e roteiro original. 

Belfast/ Crédito: Universal Pictures

A comédia dramática apresenta a história de Buddy, um menino que aos 9 anos experimenta o amor, a felicidade e a perda na Irlanda do Norte dos anos 1960. Enquanto sonha com dias melhores, Buddy busca conforto em sua família protestante em meio aos conflitos políticos e sociais da época.


Onde eu moro (Netflix)

Indicado a Melhor Curta em documentário, o filme é co-dirigido pelo cineasta carioca Pedro Kos. Enquanto acompanha a vida de várias pessoas em situação de rua da Costa Oeste dos Estados Unidos, entre os anos de 2017 e 2020, o documentário em parceria com a Netflix relata o lado humano das duras consequências das crises econômicas e imobiliárias, bem como os problemas advindos à situação como fome, solidão e violência. 

Onde eu moro/ Crédito: Netflix

Você pode conferir esse sensível resultado no Netflix. Vale lembrar que Kos não é um estreante no Oscar, pois seu documentário Lixo Extraordinário foi indicado em 2011.


Drive my car (Em sessões de cinema)

Adaptado de um conto de Haruki Murakami, o longa japonês de Ryûsuke Hamaguchi foi indicado à categoria de Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Filme Estrangeiro e Roteiro Adaptado. 

Drive My Car/ Crédito: Bitters End

Filmes asiáticos já não são novidade na premiação que, em 2020, consagrou o sul-coreano Parasita. Neste longa, disponível nas salas de cinema brasileiras, Yusuke Kafuku, interpretado por Hidetoshi Nishijima, é um ator e diretor de teatro. Felizmente casado com a roteirista Oto (Reika Kirishima), Yusuke vê sua vida mudar quando sua esposa morre inesperadamente, deixando um segredo para trás. 

Ele terá que enfrentar esse mistério algum tempo depois ao conhecer Misaki, personagem de Toko Miura, contratada para ser sua motorista até Hiroshima, onde tem um novo trabalho.


Sobre o cineasta

O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em NewPort Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.