Matérias » Monarquia

As idas e vindas do Príncipe Andrew, filho de Elizabeth II, e Sarah Ferguson

A vida do casal real foi marcada por polêmicas que tiraram o sossego da rainha Elizabeth II

Penélope Coelho Publicado em 12/04/2020, às 09h00

Casamento de Andrew e Sarah em 1986
Casamento de Andrew e Sarah em 1986 - Wikimedia Commons

Andrew Albert é o terceiro filho da rainha Elizabeth II e do príncipe Philip. Conhecido como o duque de York, o homem dedicou boa parte de sua vida à carreira militar. Quando era mais novo foi considerado um dos solteiros mais cobiçados da Inglaterra. Isso teria acabado quando ele conheceu Sarah Ferguson, uma amiga de infância.

Sarah veio de família rica e sempre andou no meio da realeza, os dois se reaproximaram em 1985, durante uma corrida de cavalos na famosa pista de Royal Ascot. Os tabloides na época diziam que essa aproximação aconteceu graças à Princesa Diana, que era amiga de Sarah.

Ao contrário de Lady Di, Ferguson, já era conhecida publicamente e tinha um passado. Antes de começar a namorar Andrew, ela manteve um relacionamento com o empresário milionário da fórmula 1, Paddy McNally, 22 anos mais velho que ela. 

Andrew ficou apaixonado por Sarah logo de cara, o romance aconteceu de maneira rápida. Eles começaram a namorar no dia em que se reencontraram, ficaram noivos em 19 de março de 1986 e se casaram em 23 de julho do mesmo ano, na Abadia de Westminster.

Sarah então recebeu o título de Duquesa de York. O casal teve duas filhas frutos da relação, Beatrice e Eugenie. Porém, toda aquela paixão inicial acabou se apagando e os dois tiveram uma relação cercada de polêmicas.

Sarah Ferguson em evento no ano de 2008 / Crédito: Wikimedia Commons

 

O fim

Apesar de terem sido muito felizes na década de 1980, nos anos 1990 isso já não acontecia mais. Por conta das missões militares e navais de Andrew, ele passava muito tempo fora de casa. Nesses períodos, Sarah sempre era vista na companhia de algum homem.

Em janeiro de 1992, o duque e a duquesa de York tomaram a decisão de se separar, e por isso, agiam como tal. Porém, esse fato ainda era desconhecido pela imprensa. Em agosto daquele ano, o tabloide Daily Mirror publicou em sua primeira página, fotos de Sarah de topless, enquanto o administrador financeiro americano, John Bryan, chupava os dedos dos pés de Ferguson.

As fotos causaram um rebuliço imenso na Inglaterra e dentro da família real, a presença de Sarah passou a ser um incômodo. Depois de quatro anos vivendo separados, Andrew e Sarah se divorciaram legalmente em 1996.

As polêmicas do príncipe

Mas, esse não foi nem de longe o pior escândalo envolvendo o nome do duque de York. A amizade do príncipe com Jeffrey Epstein, bilionário americano que cometeu suicídio na cadeia, após ser acusado de exploração sexual de menores, listado como um infrator sexual desde 2008 — foi uma mágoa muito pior para a família real.

Andrew foi citado em acusações de pedofilia durante uma festa organizada por Jeffrey Epstein. Uma testemunha afirmou ter flagrado o monarca tocando em partes íntimas de menores de idade, na Ilha de Little St. James. Virginia Roberts, uma das vítimas de Jeffrey, acusou o príncipe de ter participação direta no circuito de exploração sexual do empresário.

Duque de York em 2007 / Crédito: Wikimedia Commons

 

O Palácio de Buckingham e o duque de York negaram qualquer envolvimento com o caso. Andrew chegou a dar entrevistas para a televisão dizendo que ele não tinha conhecimento dos atos criminosos de Epstein. O escândalo foi tanto, que o príncipe abdicou de suas funções reais e está afastado desde novembro de 2019.

Apesar de tudo, a relação do casal se manteve muito amigável, Sarah e Andrew convivem em harmonia junto de suas filhas e continuaram muito próximos. Em abril de 2019, 23 anos depois da separação, os rumores de que eles teriam retornado a relação ficaram cada vez maiores.

Antes do afastamento do príncipe, eles começaram a aparecer em eventos reais juntos novamente. No entanto, os assessores da realeza britânica não responderam aos questionamentos da imprensa local sobre a suposta retomada do relacionamento.


+ Saiba mais sobre a família real por meio das obras disponíveis na Amazon:

A Real Elizabeth, Andrew Marr (2012) - https://amzn.to/2I62WYs

Elizabeth I - O Anoitecer de um Reinado, Margaret George (2012) - https://amzn.to/2FBPL08

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II, Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2PxUxAW

Queen Elizabeth II: The Biography, University Press (2019) - https://amzn.to/2Tatq1f

A Brief History of the Private Life of Elizabeth II, Michael Paterson (2012) - https://amzn.to/394Qjsq

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/3b6Kk7du